Make your own free website on Tripod.com

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO

 

Taylorismo e Fordismo

  

Trabalho apresentado como requisito para a conclusão da disciplina de Educação e Trabalho, da Professora Noela, pela aluna:

Shana G. de Oliveira

 Curitiba 2001

 

Trabalho e Educação

 

Taylorismo

 

1)     Como Taylor denomina o sistema de trabalho existente no seu tempo? Quais eram suas características? Quais eram as críticas colocadas por Taylor?

 

Taylor classifica como “iniciativa e incentivo” os mecanismos utilizados pela administração tradicional de seu tempo. Os operários escolhiam por si próprios os métodos mais econômicos para realização de suas tarefas. O administrador por sua vez premiava seus funcionários de acordo com sua iniciativa, levando em consideração fatores como melhor esforço, inteligência, boa vontade e produção. O incentivo era dado na forma de elevação salarial, redução de horas de trabalho, prêmio, gratificação ou mesmo uma melhoria nas condições de trabalho, além de uma certa consideração pessoal e um tratamento mais amigável reconhecendo no funcionário a dedicação que permitiu a maior rentabilidade ao patrão. Taylor critica este procedimento dizendo que “a administração não poderia depender da iniciativa operária” antes sim deveria assumir o controle de todo trabalho, todo processo produtivo e evoluí-lo de suas características corporativas de ofício que se mostravam obsoletas na capacidade de aumentar o capital excedente em seu tempo.

 

2)     Em que consiste a análise científica do trabalho? Qual é o seu objetivo?

 

A análise científica do trabalho consistia sobretudo em um estudo do movimento elementar de cada operário, identificando em cada movimento aqueles que são úteis e quais podem ser descartados aumentado com isto a concentração de trabalho em termos objetivos e conseguindo desta forma um aumento da produtividade.

 

3)     O que propõe o primeiro princípio taylorista?

 

Propõe a interferência e disciplina do conhecimento operário sob o comando da gerência, atribuindo à esta a função de sistematizar conhecimentos passados do processo produtivo de forma a que se tornem úteis ao operário em sua tarefa diária.

 

4)     O que estabelece o segundo princípio da OCT?

 

Estabelece que uma vez sendo o trabalho cientificamente sistematizado e dominado pela gerência cabe a esta selecionar e treinar o pessoal necessário à realização das tarefas, primando sempre por habilidades pessoais específicas as necessidades da tarefa, não havendo portanto a preocupação de que fossem homens extraordinários além destas atribuições.

 


5)     Taylor argumenta que com a OCT não há mais necessidade de “homens extraordinários” para realizar o trabalho. Comente.

 

Uma vez estabelecida e separada cientificamente cada parte do processo produtivo a empresa  necessitaria apenas de um ser humano com competência o suficiente para a realização daquela tarefa específica. Se esta tarefa por sua vez fosse apenas apertar um determinado parafuso não haveria portanto a necessidade de que o indivíduo que estivesse encarregado de realizá-la possuísse qualquer conhecimento ou aptidão para além disto. Dependendo da tarefa poderia até mesmo ser realizada por mulheres, crianças, pessoas aleijadas das mais diversas formas ou mesmo cegos.

 

6)     Em que consiste o treinamento do trabalhador?

 

O treinamento do trabalhador deve visar que este execute suas tarefas do modo que a sua gerência indicasse, obedecendo sempre sem questionamentos quanto a finalidade de suas tarefas, simplesmente deveria ficar atento as ordens recebidas de seus intrutores.

 

7)     Quais são as funções que assume a gerência na OCT?

 

A gerência, por sua vez, assume todo o planejamento e controle do trabalho. Taylor defendia que para esta função deveriam haver especialistas nas diversas funções produtivas da empresa, criando desta forma departamentos específicos para cada função.

 

8)     A partir do texto, estabeleça a diferença entre tarefa e trabalho.

 

A tarefa consiste de atribuições específicas determinadas pela gerência enquanto que trabalho compreende uma complexidade maior de atividades, na realidade um conjunto de “tarefas” com uma finalidade determinada, ao passo que a tarefa pode ser executada por um trabalhador independente deste saber ou não a finalidade da mesma e sua importância dentro da elaboração de um determinado processo produtivo.

 


Fordismo

 

9)     Qual foi a inovação introduzida por Ford no processo de fabricação de carros?

 

Ford aplicou de forma plena pela primeira vez na história do mundo industrial os princípios da linha de montagem, conseguindo resultados fabulosos de aumento de produtividade com seus trabalhadores atuando em uma linha de montagem com esteira rolante, sem a necessidade de mão de obra altamente especializada.

 

10)Relacione a inovação de Ford com os princípios tayloristas.

 

De acordo com os princípios de Taylor uma vez determinada cientificamente cada parte do processo produtivo os trabalhadores que deveriam desempenhar as tarefas neste processo não precisavam dominar o trabalho completo de produção do bem, podendo concentrar todo seu esforço em sua atividade específica, a linha de montagem de Ford aplica de forma plena este conceito com sua linha de montagem e sua esteira rolante ininterrupta.

 

11)Quais foram os efeitos do fordismo sobre a intensidade e produtividade do trabalho? Relacione-os com o conceito de mais-valia.

 

No fordismo o trabalho tornou-se mais intenso dentro da mesma carga horária diária. A produção tornou-se ininterrupta, com isto os lucros obtidos se tornaram muito maiores, o tempo de montagem de um chassi passou de 12 horas e 8 minutos para 1 hora e 33 minutos. A mais-valia do processo produtivo aumentou na mesma proporção deste ganho de produtividade.

 

12)Taylor e Ford pensaram o operário à semelhança das máquinas. Comente.

 

No conceito de Taylor e na prática industrial de Ford o trabalhador torna-se uma extensão das máquinas que opera. Ford acredita não haver nenhum problema com isto, admite mesmo que existam pessoas que devem considerar agradável não necessitar pensar criativamente em seu emprego. Porém este procedimento industrial inicia uma total alienação do trabalhador o qual cada vez mais torna-se mero vendedor (para não dizer escravo) de sua força de trabalho. De um lado os capitalistas detentores dos meios de produção planejam e estabelecem os critérios das linhas de montagem, do outro o trabalhador selecionado para tornar-se parte desta linha de montagem e receber por isto um salário referente a suas horas trabalhadas ficando o capitalista proprietária de todo excedente produzido.

 


13)Estabeleça a relação existente entre desqualificação do trabalhador e valor da força de trabalho (salário).

 

Uma vez definido que o trabalhador não precisa mais possuir habilidades maiores do que aquelas exigidas por uma determinada posição na linha de montagem, o seu salário tende a decrescer na mesma proporção em que estas tarefas são simplificadas neste processo. Não há mais a valorização do profissional que dominava o processo produtivo. A alienação do homem com relação ao seu trabalho permite que o capitalista dite as regras deste jogo e imponha os valores a serem pagos na forma de salário ao trabalhador.

 

14)Quais eram os objetivos de Ford ao empregar pessoas com deficiências físicas nas suas fábricas?

 

Os objetivos de Ford eram meramente capitalistas, ao empregar pessoas deficientes em suas fábricas podia com isto pagar salários menores, posto que estava dando empregos a pessoas que antes seriam marginalizadas em qualquer outra empresa. Sua proposta é de que com este tipo de atitude não seria mais necessária no futuro nenhuma forma de filantropia uma vez que todos os deficientes poderiam por si próprio conseguirem espaço no processo produtivo das empresas.

 Voltar